Compartilhando Experiências – Change Management

Olá, meu nome é Bruna Bettine e sou Arquiteta de Processos e Negócios certificada pela ABPMP (CBPP) e também pelo The Open Group (ToGAF). Recentemente tirei a minha certificação de Change Management to Agile pelo HUCMI (Human Change Management Institute) e gostaria de compartilhar a minha experiência com vocês. Em minha trajetória sempre acreditei que não basta o profissional ser bem qualificado tecnicamente se não souber valorizar e lidar com o fator humano. Até que em uma das aulas do BootCamp fui apresentada ao HUCMI, pelo Mestre Orlando Pavani. Uma instituição que, assim como eu, acredita que o fator humano é um fator crítico de sucesso em projetos e processos nas organizações e que possui estudos, guias e treinamentos sobre o assunto. Depois de muito namorar o tema, finalmente aproveitei a pandemia para realizar não só o treinamento de Gestão de Mudanças como também o de Gestão de Mudanças em Projetos Ágeis com outro Mestre que é o Vicente Gonçalves.

A Gestão de Mudança é uma área de conhecimento para especialistas mas que permeia todas as áreas. Mesmo sendo muito ampla, posso destacar alguns pontos que acredito serem muito relevantes de acordo com o HCMBOK: 

  • Gestão de Mudanças e Projetos – Não existem mudanças que não devam ser organizadas como projetos, da mesma forma que não existem projetos que não promovam mudanças. O objetivo da disciplina Gestão de Mudanças é nos guiar na gestão do fator humano em um projeto de mudanças para ampliar as chances dos resultados esperados serem atingidos ou superados;
  • Gestão de Mudanças – Podemos destacar algumas principais atividades que permeiam todo o escopo do projeto como: Planejamento e Gestão de Comunicação, Formação de Espirito de Equipe, Estímulo a Processos Participativos, Gestão de Conflitos, Estresse e Comportamentos, Estímulo a Criatividade e Inovação e Gestão de Stakeholders;
  • Impactos Organizacionais – Toda mudança toca nas pessoas e em seus paradigmas, modificar a maneira como que as coisas são realizadas tiram as pessoas da sua zona de conforto. Conhecer a cultura organizacional e identificar antecipadamente os impactos gerados assim como meios de medir a prontidão para mudança são alguns dos fatores essenciais para o Planejamento Estratégico da Gestão de Mudanças;
  • Plano Estratégico de Gestão de Mudança – Entre outros benefícios, o plano ajuda a reduzir aspectos abstratos do projeto, tornando a Gestão de Mudanças mais tangível para a equipe e sua gestão permitindo inclusive, identificar antecipadamente principais fatores de engajamento e antagonismo do projeto. Além disso, o planejamento visa integrar diversos stakeholders, dentre eles, Gestão do Projeto, Processos, RH e TI;
  • Importância do Patrocínio –  Todo processo de mudança precisa de um patrocínio, uma pessoa com poder e respaldo para demandar a mudança acompanha-la e intervir quando necessário assim como preparar o patrocinador e identificar impactos preliminares percebidos por ele;
  • Poder do Propósito – É a forma mais profunda e abrangente de promover o objetivo a ser alcançado. Enquanto o objetivo traz uma compreensão da mudança em estância racional, o propósito toca no emocional, o porque a mudança ocorrerá. Gerando assim, mais engajamento para o time do projeto;
  • Mapa de Steakholders – O Mapa de Stakeholders tem como objetivo elencar e classificar os stakeholders que estão direta ou indiretamente envolvidos com a mudança, permitindo identificar antecipadamente conflitos potenciais, dimensionar com maior acurácia o esforço da gestão de mudanças, definir estratégias de comunicação, promover abordagens de engajamento ou redução do poder de antagonismo e monitorar os resultados das atividades de gestão dos stakeholders;
  • Estratégia de Sustentação da Mudança – Mesmo que o projeto tenha sido um sucesso em relação às suas variáveis básicas, como prazo, custo, escopo e qualidade, é necessário a consolidação da mudança para que o projeto possa ser bem sucedido em relação ao que realmente interessa, ou seja, a entrega de seus objetivos estratégicos;

Além de todos os pontos mencionados acima, aprendemos um arsenal de boas práticas sobre antagonismo, gestão de conflitos, comportamentos, etc. Em linhas gerais a Gestão de Mudanças é uma disciplina que irá nos guiar para transformar a estratégia em resultados para organização.

Sobre a certificação, acredito que para algumas empresas seja um meio de filtrar os profissionais que iniciaram esta jornada e para o profissional uma forma a mais de reforçar o conteúdo do treinamento. Recomendo não só para profissionais de Gestão de Mudanças, Processos, TI e RH como também para todos os profissionais que promovem mudanças nas organizações.

Caso tenham dúvidas sobre o conteúdo, deixe seu recadinho que continuamos a nossa conversa e se tiverem interesse em realizar alguns dos treinamentos, caso ainda haja a promoção, compartilho o voucher de desconto oferecido pelo HUCMI para indicações de ex-alunos. 

Bruna Bettine